Reconhecido diretor musical do teatro paulista, realizador de espetáculos musicais, entre os quais se destacam Almanaque Brasil, de Noemi Marinho, e Você Vai Ver o Que Você Vai Ver, de Raymond Queneau, com direção de Gabriel Villela. É um dos autores de O Gato Preto e Alô Alô Terezinha!, do grupo Circo Grafitti, do qual é um dos fundadores. Característica principal em seu trabalho é a inter-relação da cena teatral com a música, notadamente ao lançar um olhar crítico sobre os diversos estilos do discurso musical, seja como compositor, arranjador, preparador vocal ou pianista ao vivo em espetáculos teatrais. Atuou como compositor e diretor musical da peça A Megera Domada, de W. Shakespeare, com o Teatro do Ornitorrinco, sob direção de Cacá Rosset, e apresenta atualmente De Pernas Pro Ar, produção do Circo Grafitti,  e Nara, musical sobre a vida da cantora Nara Leão, indicado ao prêmio Shell 2010, categoria melhor música e ganhador do Prêmio Contigo de Melhor Espetáculo Musical Nacional 2010.

Recebeu os seguintes prêmios:

SHELL 2000 – Melhor Música por Filhos do Brasil.
APCA 1993 –  Direção Musical por Almanaque Brasil.
APETESP 1993 – Composição por Ifigônia.
APETESP 1993 –  Trilha Sonora por Almanaque Brasil.
APETESP 1991 – Composição por Enq., o Gnomo.
APETESP 1989 – Composição por Você Vai Ver o Que Você Vai Ver.

Foi indicado ao Prêmio Minc-Mambembe 1989 categoria Especial pela música de Você Vai Ver o Que Você Vai Ver, ao Prêmio Shell – 1999, categoria Melhor música, pelo espetáculo Miss Brasil 2000, ao prêmio Panamco – 2000, pela Direção Musical e arranjos de A Estranha Vida de Hilletje Jans, ao prêmio Shell 2002, categoria música por O Gato Preto e ao Prêmio Shell 2004, por Alô, Alô, Terezinha! .